29 de novembro de 2014

Chamem-me conservadora ou o que vocês quiserem

Faz-me confusão, mas é que me dá cabo da moleira mesmo!, a quantidade de pais que dão tablets e telemóveis todos xpto que quase dão para substituir a Bimby lá de casa a putos que ainda nem na escola estão. Pirralhos que ainda só sabem dizer gugu dada a babarem-se todos ali a jogar Angry Birds melhor que eu, aqui com os meus 23 anos. "Então, que é que o teu filho de 3 anos vai receber no Natal, pá? Ai sim? Um iPad Mini?", sério gente, dá-me vontade de os abanar. Preocupa-me que os putos, desde tão pequenos, não saibam, pelo menos na minha opinião, o que é brincar a sério, até porque têm tempo (e mais que tempo) para se tornarem sonâmbulos das tecnologias mais tarde, quando tiverem que gramar com a responsabilidade de ter um computador para fazer os trabalhos e um telemóvel para andar sempre contactável. Sim, porque eu levo isto como uma responsabilidade também e, às vezes, uma valente seca. Quanto mais ligados estamos ao mundo, mais difícil é quando nos queremos desligar. Andar sem telemóvel? Só nas férias, quando tenho todos os que amo ao pé de mim. E é um verdadeiro alívio poder ir a todo o lado sem ter que estar constantemente a afocinhar num ecrã de 7 polegadas, ou o raio que parta.

2 comentários:

Biscoita disse...

Concordo completamente contigo! Os miúdos de hoje já não sabem o que é brincar a sério, nem conviver a sério... Agora ser criança é estar o dia todo agarrado a uma tela a viver através de bonecos :/

Panda disse...

É o que eu acho também, até porque pertenço a uma das últimas gerações antes destas do chip, como eu lhes chamo.