10 de novembro de 2014

Eu bem vos digo, ainda me dá um esgotamento nervoso

Uma pessoa (aham, Panda) está dedicadíssima a servir-lhe a sopa de cebola que fez com tanto carinho, porque sabe que ele tanto gosta (e eu também, mas isso não interessa para nada), tal e qual uma bela dona de casa como todas devem ser, senão corremos o risco de nos tornarmos infelizes e eu não quero cá disso, quando, de repente, o vejo.

Pega nas Ruffles.

Parte aos bocados.

Mete na sopa. (o drama, o horror, o choque, o trauma)

Aaaaai que me dói a alma!

12 comentários:

Pseudo disse...

Esse acto está ao mesmo nível daquele de se partir o esparguete cozido, já no prato, pronto a degustar.

Merece dormir no sofá, a ver se aprende. :P

Panda disse...

Ah, pseudo, como me compreendes.

TimTim disse...

para a próxima come torradas sem manteiga

Panda disse...

Torradas com Ruffles ahahah

Catarina de Carabá disse...

Ahahah! Há quem ponha "croutons"...

Agora ficou-me a apetecer ruffles :p

Nina Nininha disse...

Sopa de Ruffles?! O salgado, o crocante, o sabor da cebola … é pá ainda sou menina para experimentar a sopita. Se calhar não fica mal! :P

Panda disse...

Catarina, eu sou da dos croutons no cremezinho de cenoura :P

Nina, opá, eu não me atrevi a imitar o exemplo. Mas às tantas...

maria umbelina disse...

Foi para realçar o sabor já de si ótimo da tua sopa :P

Vanessa disse...

O meu faz tanta mistura bizarra que depois de 5 anos já nada me espanta. Também tem sempre de pôr qualquer coisa not-so-healthy a desarmonizar o prato; é mais forte do que ele.

Panda disse...

maria, obviamente :P

Vanessa, este ao fim de 7 ainda me continua a surpreender. Raio do homem.

Til disse...

Ui que coisa estranha,tás a falar a sério?

Panda disse...

Estou pois.