1 de janeiro de 2015

Das resoluções

Acho que em ano algum me comprometi a fazer o que quer que fosse, com a desculpa de ser "ano novo, vida nova". Este ano não será excepção. O tempo não parou ontem para recomeçar outra vez e, como tal, as minhas resoluções estão num continuum, são resoluções de vida para a vida. Tenho umas de há uns anos atrás, tenho umas deste ano que passou, enfim. Mas a minha principal resolução é também a palavra de ordem para 2015, que vou tentar aplicar em tudo na minha vida, sem excepção: calma. Preciso de calma dentro de mim. Preciso de sentir que emano calma por todos os poros que tenho. Calma, paciência, estabilidade emocional. Só isso. E assim, acho que outras coisas, melhores coisas, virão.

Sem comentários: