16 de fevereiro de 2015

Raios partam o homem

Hoje bem que podia ter ficado a dormir. Fizemos contas que até uma criança faria. Se bem que, nos dias que correm, há muitas crianças a perceber mais de matemática do que muitos adultos, mas isso agora não interessa. Interessa que perdi horas de sono, minha gente, e eu sou uma pessoa que sofre dos nervos (e do sono, como se constata pelo post anterior, depois, enfim, acontece aquilo). No fim da aula, tivemos que levar com um vídeo da tabuada, cantado, de onde só retive a frase "com os seus rabinhos fazem lequinhos" e outro vídeo, de um tal de Iberê Thenório, do qual só retive este nome. De maneira que é assim, estou mal disposta.

8 comentários:

*Nightwish* disse...

Pensa assim: um dia vais pregar uma seca a alguém cheio de sono, que não vai trazer nada de importante à vida de alguém, e vingas-te - tens apresentação de trabalhos a essa cadeira? Quando?! hehe
***

Panda disse...

Eu espero bem que um dia isso não aconteça, porque é suposto eu ajudar as pessoas, um dia. Deus me livre :P

maria umbelina disse...

Desculpa a ignorância, mas na faculdade de psicologia fazem contas?

Panda disse...

Sim. Eu tive quatro cadeiras de estatística. Temos que saber aplicar questionários e traduzir os resultados. Quem for para investigação dentro de qualquer uma das áreas, precisa de matemática. Não é preciso matemática em tudo? Na Psicologia também é fundamental.

maria umbelina disse...

Bem diziam os meus profs que a matemática está em todo o lado! :D

Panda disse...

Tinha toda a razão. (para minha infelicidade!)

Anónimo disse...

Agora fiquei deprê! Não acredito que faltei a essa maravilha de aula! Vou chorar e já volto....
(quero os links do video para nao me sentir antissocial)

Panda disse...

Foi verdadeiramente maravilhosa, não tens bem noção do que perdeste, Nê!