29 de setembro de 2015

Zé do Pipo

Estava ali na cozinha a contemplar as minhas mercearias e apercebi-me de que tenho um problema. Talvez seja crónico, até, não sei. Tenho ali quatro caixas de chá, todas diferentes, e ainda agora comprei mais uma. Isto pode parecer normal, mas não é. E não o é por uma simples razão: eu não gosto de chá. As caixas estão basicamente cheias. Às vezes lá me lembro de beber um, como é o caso de agora, que estou a beber do último que comprei. Mas isto não acontece muitas vezes. É como o café, também não gosto. Só que não ando para aqui a comprar cápsulas para meter numa máquina qualquer toda xpto. E elas são giras, que são, principalmente aquelas em forma de ovo, mas pronto, não gosto de café, não compro. Agora o chá, isso já é outra história. E eu não sei o que raio tem o chá de diferente que me faz comprá-lo, mas aquele entusiasmozinho de apanhar um Lipton ou um Tetley em promoção, descobrir aqueles sabores merdosos, tipo cupcake e, sei lá, bacalhau à Zé do Pipo, e empilhá-los a todos ali na minha prateleirazinha, cada um com as suas corzinhas mimosas...

Preciso de ajuda.

21 de setembro de 2015

Eu vou explicar como uma inocente como eu facilmente bebe por engano

Vou ao frigorífico buscar o Iced Tea. Puxo daquelas bolachinhas a imitar os Filipinos de chocolate branco ali da prateleira. Venho toda contente para a secretária ver Suits. Como um Filipino. Puxo do Iced Tea, dou um golinho e...


Cuspi-me todinha.

14 de setembro de 2015

Coisas chatas da vida que me ocorrem à hora do jantar

Película aderente.

Tenho que escrever sobre isto, senão ainda me dá uma coisinha má

É que já não aguento mais segurar-me para não falar. E todos sabemos que isto de uma mulher se segurar para não falar nunca resulta, não é? Tenho andado a jogar um jogo chamado Candy Crush Soda. Aquilo é divertido e viciante e eu faço um esforço muito grande para não estar constantemente enfiada naquela porcaria. Mas acontece que tem um pormenor que me está a deixar ligeiramente desconfortável, por assim dizer. Não sei como é no Candy Crush normal, mas neste há um senhor que narra cada momento de glória que fazemos. E o que é que ele diz? "Tasty", "delicious", "sodalicious" , "juicy", entre outras do género. Mas o problema não é (só) o que ele diz. O problema é como diz. Escolheram uma voz que faz o jogo passar do inocente ao pornográfico, tudo enquanto o Diabo esfrega um olho. O homem começa lá a dizer aquelas coisas e eu só ouço "si cariño", num espanhol fuerte. Ora, confirmem lá. Não posso sentir-me sozinha nisto.