30 de março de 2016

Digamos que estou um bocadinho assustada

Passo a explicar: a pessoa não tem palitos em casa. A pessoa foi pôr roupa a lavar. A pessoa apanhou a roupa e o que é que lá estava, preso a uma camisolinha? Um palito. Repito: aqui não há palitos em lado nenhum, porque a pessoa não usa. O que é que eu pensei? "Andou aqui um filha da putisse de um espírito a meter-me palitos na máquina de lavar." Lóooogico.

29 de março de 2016

É suposto apresentar-me à turma num fórum da plataforma da minha Faculdade

"Olá, sou a Panda, tenho 25 anos e gosto de longos passeios à beira-mar" é capaz de ficar mal, né?

28 de março de 2016

E então, Panda? Casa nova, vida nova?

Não. Casa nova, costas novas. Arrebentei-me toda com isto das mudanças. Quase posso dizer que tenho um andar novo e não estou a ser badalhoca.

24 de março de 2016

Amanhã mudo de casa

Esta semana tem sido só para carregar e descarregar móveis e merdelhices que estorvam mais do que as sogras. Estou que nem posso e ando nervosinha desta vida. Rezem por mim que ainda me dá um treco. 

5 de março de 2016

Acabo já com isto ou mostro-lhe misericórdia?

O meu namorado viu hoje o meu novo corte de cabelo. Disse-me que lhe faço lembrar um cão à chuva. 

1 de março de 2016

Ontem mandei uma panada com o cotovelo direito que até vi estrelas

Foi na esquina da parede, mesmo naquele bocadinho do cotovelo que fica entre os ossinhos e onde nada se passa. Primeiro, disse umas cinco asneirolas seguidas e amaldiçoei o dia em que nasci. Depois, o braço ficou de tal forma dormente que acho que também senti dormência no mindinho do pé esquerdo. A seguir, segurei o braço com toda a força (just in case, não fosse estatelar-se no chão). Decidi então agir e fui buscar um bife ao congelador, porque sou daquelas pessoas que não faz gelo no inverno. Hoje não consegui escrever, não fiz a cama, para me vestir é preciso muita força de vontade e acho que nem tirei bem o champô. Um dia agradável, esta terça-feira.