27 de fevereiro de 2016

Que te apoquenta neste momento, Panda?

Ora. Hoje fui à cabeleireira. E quem me conhece sabe que isso para mim é equiparável a dizerem-me que nunca mais vou poder comer gelados na vida. Por si só, ir cortar o cabelo não me faz diferença; o que me chateia, é que as pessoas metem conversa comigo para me perguntarem tudo aquilo que não conseguiram saber sobre a minha vida, desde a última vez que eu ali fui. E eu vou ali para aí duas ou três vezes por ano. Mas bem, hoje fiquei satisfeita com o corte e até nem tive que falar muito, falou-se da neve no Algarve e pouco mais. Estava tudo a correr bem... até vir a senhora munida do secador para tornar a minha vida num, como dizê-lo... tufo? Sim, passei de uma jovem nos seus tenros 25 anos, para uma velhota coquete de 60, daquelas que usam casaquinho de pêlo verdadeiro e uma pochete em padrão tigresse. A mulher deu-me tanto volume ao cabelo que eu agora olho-me ao espelho e não sei se hei-de chorar ou se hei-de ir ali ao banco fazer um PPR num instantinho.

8 comentários:

Life is Sweet disse...

Como te compreendo! Para mim cabeleireiro é tortura, só me apetece desfazer tudo mal chego a casa...

Panda disse...

Também tens aquela sensação de que o teu cabelo só fica bonito ao fim de uma semana?

Catarina de Carabá disse...

Ai meu deus, não sei o que faria se me fizessem essa!
A minha cabeleireira é a mesma desde que nasci e já nos entendemos muito bem. Eu confio plenamente nela, ela percebe as minhas instruções e deixa-me ler o meu livrinho à vontade enquanto faz o seu trabalho. Fora os habituais olás e como está a mamã claro :p

Panda disse...

O problema não foi a minha cabeleireira, foi mesmo o facto de ter sido outra senhora que lá trabalha a secar-me e que gosta de ser... criativa, digamos.

esperto que nem um alho disse...

Se o Carnaval não tivesse sido há quase um mês, podias fazer de cabeçudo.
De cabeçuda. eheheh

Panda disse...

Acredita que podia fazer de uma banda dos anos 80.

esperto que nem um alho disse...

Eram cabeleiras formidáveis, aquelas. Nem precisavam de usar capacete para andar de mota. ahahah

Panda disse...

Nada! Ahahahah mas agora a minha já normalizou :D