7 de janeiro de 2016

O Mateus já tem leucemia há 558737278273738 anos

Estou neste momento a fazer uma viagem de Intercidades e agora, para além da companhia do revisor (que me lixa sempre, porque demora a vir e eu quero é dormir), também temos os senhores do peditório a viajar connosco. Dão a fotografia do Mateus, que já é a mesma há anos (provavelmente o miúdo até já está na meia idade), para lermos e reflectirmos sobre o flagelo que é a leucemia em idades tão tenras e depois recolhem as moedinhas.

21 comentários:

esperto que nem um alho disse...

É incrível como há pessoas (?) capazes de usar uma doença tão desgraçada para burlar indecentemente. É de perder por completo a fé na humanidade. :(

Panda disse...

Enfim!

Tim disse...

E depois ainda nos chamam nomes por não darmos nada -- PACIÊNCIA!

Panda disse...

É verdade. Este não me chamou nada, mas olhou-me de uma forma que eu acho que o homem desejou que eu morresse ali x)

Dora disse...

Ahahahah, muito bom! Mas acredita que eu manda-lhes a boca!

Panda disse...

Eu gostava de mandar o meu bitaite, mas fico sempre um bocado incrédula nestas situações.

*Nightwish* disse...

Claro que, com situações destas, depois as pessoas não dão a quem realmente precisa. Se calhar, o Mateus teve leucemia e nunca soube... ***

Panda disse...

Eu costumo dar em muitos sítios. Às vezes até acho que dou onde não devia. Mas estes fazem-me espécie, sinceramente, porque nota-se a léguas.

luis disse...

E a máfia da Romenia ao ataque. Funciona lindamente nos países católicos. Já os vi em Itália.

Panda disse...

Eu fico realmente chateada com este tipo de situações, porque sei que não precisam realmente de ajuda.

Anónimo disse...

Estou neste momento no intercidades de Lisboa para Guarda e apareceu -me aqui um tipo de aspecto romeno a pedir dinheiro para o Mateus que tem leucemia! O puto resiste!

Pedro M. Pinto disse...

O gajo está neste momento no IC que vai para o Porto (Campanhã). Anda a distribuir os ditos cartões com a alegada foto do Mateus. Devolvi-o rasgado ao meio e disse-lhe: «Isto é falso.» O fulano ficou a olhar para mim uns instantes com ar de "fui descoberto". Pegou nos dois pedaços do cartão e seguiu.

Panda disse...

Pedro, tenho para mim que eles não estão habituados a ter pessoas a fazer isso. Mas foi bem!

Anónimo disse...

Cá está o Mateus no IC Porto Lisboa

Panda disse...

Não falha!

Anónimo disse...

Estava agora no IC e, como viajo todas as semanas, achei estranho na semana passada o Mateus ter 2 anos e está semana 7 anos! Ainda bem que encontrei este artigo...enfim para estes burlões.

Panda disse...

Anónimo, infelizmente, já me deixei enganar, porque o coração fala mais alto. Mas aprendi.

Unknown disse...

E parece que isso ainda não acabou, estou eu aqui hoje a viajar no IC, e aparece alguém com a mesma história, entrega uns papeis de um rapaz chamado Mateus, em que sobre de leucemia. Logo de seguida passa a recolher os papeis e nomeadamente alguns trocos...

Panda disse...

Unknown, a última vez que me pediram dinheiro nessa circunstância, chegaram ao cúmulo de dizer que a CP ajudava. Impressionante.

Anónimo disse...

Eu e outras pessoas que frequentam a Padaria Portuguesa fomos hoje abordados por uma jovem a pedir dinheiro para ajudar o Mateus a tratar-se. Para o efeito colocou em cima de cada mesa um cartão com a foto do Mateus (???).
Trata-se de uma burla que circula no país (e não só) há mais de 10 anos. O que parece incrível (mas não é) é como as pessoas, apesar dos imensos avisos das autoridades embarcam sempre nisto. Julgo que têm a consciência pesada e que isso os alivia dos seus pecados. É uma forma de descarregar a consciência da falta de solidariedade nas alturas apropriadas. Pensam assim que lavam e desinfetam as consciências sujas.
Perguntei à jovem onde estava o Mateus. Respondeu-me que estava na Ucrânia e desapareceu de seguida. Mesmo assim ainda recolheu muitas moedas de várias mesas.
Também é incrível como as autoridades nada fazem para acabar com estas vigarices. Isto é gente que de dia faz estes peditórios para se financiar para efectuar trabalhos "extra" à noite.

Panda disse...

Absolutamente TODA a razão, Anónimo! Obrigada pelo comentário :)