11 de novembro de 2014

Agora percebo que era tudo para o bem da comunidade

Os homens questionam-se sempre sobre as razões pelas quais o mulherio vai todo em grupo, naquela do quanto mais melhor, à casa-de-banho. Está-se na discónaite a córtir milhões e pimbas, lá vem a mítica frase do "quero ir à casa-de-banho, vens?" e um "sim, miúda" da outra parte, e lá vão elas, as duas, as três, as quatro, as vinte, não interessa, mas vão juntas. Uns dizem que é para retocar maquilhagem e compor a localização das maminhas no suti-mamas, porque, bem, todas sabemos que a gravidade faz muito bem o seu papel, principalmente quando estamos a dançar ou bêbedas. Outros dizem que é para falar mal dos homens, o que também acredito que aconteça, porque já ouvi muitas conversas de casa-de-banho em que fiquei a perceber que ele era um coninhas que vai-se a ver e já tinha dormido com um bairro inteiro. Falando apenas por mim, só vou à casa-de-banho com outra moça quando a) não sei onde é e, como sou pitosga, não quero andar a apalpar paredes, b) não sei onde é e também não sou muito boa a interpretar direcções, ou c) estou bêbeda. Mas hoje, hoje percebi que há uma outra razão, que mais ninguém viu ainda (e sim, podem presentear-me com um Prémio Nobel, que seja criado um de propósito, dedicado só e apenas a esta situação). Fui à casa-de-banho, prestes a rebentar o saco das águas, e eis que me deparo com umas cinco moças para ir à minha frente. Sobe-me assim um desespero pelo corpo acima, ao mesmo tempo que me controlo para não me descer nada pelas pernas abaixo, porque "tinham que estar aqui estas todas, ai que eu não me aguento e faço já ali no lavatório" e eis que sai do único cubículo disponível a sua ocupante. Eu à rasquinha e já a pensar "vá, façam rápido que isto está prestes", quando uma das moças se vira para mim e diz "nós não vamos, podes ir, viemos só com ela". Foi alívio. Alívio do mais puro que há, deu-me vontade de espetar um beijo redondinho e repenicado de rebentar tímpanos a todas as gaiatas presentes. Assim que me sentei na sanita até revirei os olhinhos. Porque, afinal de contas, as mulheres também vão juntas à casa-de-banho para proporcionar momentos destes, de alívio e de paz com o Mundo. O altruísmo é uma coisa muito bonita.

6 comentários:

maria umbelina disse...

Sai já um prémio nobel para a pandinha! Prepara-te para às cinco da manhã atenderes o telefone com o anúncio oficial! :p

Panda disse...

Vais-me arranjar um? Quero em dourado, para parecer melhor!

Linda Porca disse...

Cheguei para te salvar, mulher, mas não digas que vais daqui: quando apanhares a casa-de-banho muito cheia, mete-te na dos homens. Normalmente, não tem tanta gente, é mais limpa e, se te cruzares com algum deles, dizes a verdade: "Estou tão aflitinha...".

Panda disse...

Já tive tive que o fazer e é mais limpa sim senhora, já aqui escrevi sobre isso. As mulheres são muito badalhocas.

maria umbelina disse...

Sai um dourado, então :p

Panda disse...

Não recebi nenhuma chamada às 5 da manhã! Eu nem dormi, Maria...